terça-feira, 18 de março de 2008

Showmício


Perdoem o desabafo...
Todo desprezo a qualquer espécie de discurso alienante e congênere. Todo desdém a essa curriola PODRE de ratos. Gatunos que roubam silenciosamente na tranquilidade ignóbel de seus gabinetes. Toda esperança no povo, que cansado em suas entranhas, aprenderá o significado do ato de votar e da palavra democracia...

Showmício
Discurso infame.
Homem de nome
Nos palanques da cidade.
Anedotas contadas
A um povo massa.
Que não é pasta italiana.
Comício sem graça.
Grana lavada
Ali, no meio da praça.
Sorrisos largos
Contemplam a mentira.
Santa oligarquia.
Palavras ilusórias,
Cabeças inglórias,
Os braços se agitam.
Ao vivo campal e
Ridículo. É show
Ou é comício?
Entrego a sorte,
Cruzo os dedos.
Aguardo...
Microfones abertos
Vozes sensatas.
Nada contra música baiana.
Meigo e inflamado
Sinto por terem-me subestimado
Com camisas, cartazes e bundas.
De quatro em quatro anos
Alguns fogem a realidade.
Drogam-se com seus personagens.
Horário televisionado
Agora é ópio dispensado
Com o controle remoto.
As vozes se calam,
Voltam satisfeitos. Enfim,
Viram a Sheila Carvalho.

slz/ma, 7 outubro 99

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Mais uma dose! É claro que eu tô afim!" Obrigado por visitar a bodega online. Abraços!