sábado, 10 de maio de 2008

Tecendo o amanhã


Tecendo o amanhã

tudo foi como se não tivesse sido.
corrida. nós cegos em contemplação.
um hoje ou nunca mais.
insatisfação das partes.

na soma dos resultados próximos
conclusões que doem e não maltratam,
só para não parecer tão igual.

sempre saudamos a bela máxima:
não existe mea culpa.
enfim, mais um amor fugaz.
revelar sentimentos é um equívoco
passional e proposital.

bem que se diz que o vento não atrapalha.

Um comentário:

  1. Parabéns vc está se tornando um verdadeiro imaginário das letras , um van filosofal ...um verdadeiro POETA...fico feliz em compartilhar essa alegria . Tenha muia saúde e sucesso e não deixe de escrever mais poemas ...Grande Abraço!

    ResponderExcluir

"Mais uma dose! É claro que eu tô afim!" Obrigado por visitar a bodega online. Abraços!