domingo, 5 de outubro de 2008

Fifteen flower


Fifteen flower


idos de outubro sobre o olhar lúdico
é primavera no jardim da rua
e tudo se encerra no vigésimo sexto dia
na esperança que nasçam flores em meu canteiro vazio

existem lógicas inúmeras
na madrugada as flores são muitas.
mas há que existir o irresistível doce.
demasiadamente especial como se fosse.
insistentemente minha e o perfume de todas.
aromas e sabores de um eterno instante a dois

momentos primo verais em ti
sensações primaverais em mim
À flor da pele, pétala por pétala, teu.
porque também és tu.

Um comentário:

  1. Maravilhosa Poesia!
    Talento, um dia serei como ti!

    A madrugada e a melhor companhia dos sonhadores e solitarios, conheço bem.

    Obrigado por existir.

    Amei de verdade seu Boteco.

    Bjos de sua amiga
    Ueide

    Mãe

    Renovadora e reveladora do mundo
    A humanidade se renova no teu ventre.
    Cria teus filhos,
    não os entregues à creche.
    Creche é fria, impessoal.
    Nunca será um lar
    para teu filho.
    Ele, pequenino, precisa de ti.
    Não o desligues da tua força maternal.

    Que pretendes, mulher?
    Independência, igualdade de condições...
    Empregos fora do lar?
    És superior àqueles
    que procuras imitar.
    Tens o dom divino
    de ser mãe
    Em ti está presente a humanidade.

    Mulher, não te deixes castrar.
    Serás um animal somente de prazer
    e às vezes nem mais isso.
    Frígida, bloqueada, teu orgulho te faz calar.
    Tumultuada, fingindo ser o que não és.
    Roendo o teu osso negro da amargura.

    Cora Coralina

    ResponderExcluir

"Mais uma dose! É claro que eu tô afim!" Obrigado por visitar a bodega online. Abraços!