sábado, 19 de setembro de 2009

Pequena história



Lendo o blog do Geneton Moraes Neto encontrei seus "arquivos implacáveis". Dez anos depois da morte do poeta autor de “Morte e Vida Severina”, uma preciosidade de João Cabral, um reacionário clássico.

“Tenho aversão à subjetividade. Em primeiro lugar, tenho a impressão de que nenhum homem é tão interessante para se dar em espetáculo aos outros permanentemente. Em segundo lugar, tenho a impressão de que a poesia é uma linguagem para a sensibilidade, sobretudo. Uma palavra concreta, portanto, tem mais força poética do que a palavra abstrata. As palavras “pedra” ou “faca” ou “maçã”, palavras concretas, são bem mais fortes, poeticamente, do que “tristeza”, “melancolia” ou “saudade”.

Em um livro antigo, de um autor desconhecido encontrei esse pequeno poema. Fala de amor quando há esperança. Definitivamente não faz o estilo de João Cabral.



Pequena história

Quando todo amor do mundo não é suficiente.
As ruas são desertos, estações de trem e pontos de fuga são nulos
Não se acerta o endereço de casa, o telefone do amigo próximo
E mesmo os sonhos não são mais necessários

Quando todo amor do mundo não é suficiente.
As paredes do quarto são projetores de minicertezas
Imagens desbotadas que não impressionam
Museu de arte sem espectadores ou obras raras

Quando todo amor do mundo não é suficiente
Sereias e princesas dão o ar da graça,
Nesse maravilhoso mundo de contos
O desencanto é pouso da esperança

Quando todo amor do mundo não é suficiente
Perde-se as chaves de casa, a condução de todo dia
Torna-se perigoso quando toda chama se apaga,
Mas a primavera se aproxima

Quando todo amor do mundo não é suficiente
Reminiscências existem para serem celebradas
Valores, conceitos e ações ganham asas
A poesia é dura e feita de matéria

A. Veras

6 comentários:

  1. "Quando todo amor do mundo não é suficiente" leio bodega online. Assim encontro uma forma de materializar sentidos como a saudade, em comentários de louvor e felicidade ao meu primão!
    Sucesso cara!

    ResponderExcluir
  2. Sucesso pra vc tb, parceiro. Obrigado pelo comentário, brother! Abração!

    ResponderExcluir
  3. Quase me arrancou lágrimas,foi por pouco!

    ResponderExcluir
  4. Nath, suas palavras me deixaram comovido. Um brinde a toda sensibilidade e beleza existentes em ti!

    ResponderExcluir
  5. Que bela surpresa descobrir dentro de você um poeta... adorei! :) Vou continuar "fuçando" por aqui!

    ResponderExcluir
  6. Uma honra tê-la aqui na bodega!!! Obrigado pela visita. Venha sempre tomar uma dose e deixe sempre os seus comentários!
    Bjos

    ResponderExcluir

"Mais uma dose! É claro que eu tô afim!" Obrigado por visitar a bodega online. Abraços!